Porque decidi fazer terapia

Publicado dia 10 de novembro de 2020

Depoimento de Clodoaldo Lima

Terapia deveria ser experimentada por todo mundo. A descoberta de si mesmo através das palavras e atitudes é reconfortante e libertadora. Evidentemente, a gente precisa estar preparado para revirar caixas supostamente esquecidas dentro da gente que geram impacto na nossa vida sem percebermos. Contar a nossa história repetidas vezes sob diversos ângulos nos faz enxergar o edifício que somos. O impacto é grande, a gente se sente vivo, organiza um pouco o passado, se perdoa pelos erros cometidos e pavimenta melhor o futuro.

Emoções são inevitáveis. Esse grandalhão aqui precisou aprender a chorar na frente de outra pessoa. Nessa pandemia aproveitei o convite que a vida me fez: mergulhar dentro do meu armário e ir revirando cada pedacinho dos esqueletos que nele encontrei. Foi um processo intenso de redescoberta, memórias e emoções que me fizeram mais seguro do que sou e do quanto posso aguentar. Aproveitei o silêncio do meu lar e confrontei-me diversas vezes no espelho em busca desse cara que realmente sou.

Chorei. Sorri. Cantei. Brinquei. Relembrei. Ouvi. Aconselhei. Orientei. Aprendi. Emocionei. Senti. O processo de cura é interno e precisa ser/vir de dentro pra fora. Fui vários de mim mesmo, e permiti papéis os quais evitava a todo instante com o medo de sentir-me fraco. E foi justamente nesse processo que passei a ser mais consciente e confiante em mim.

São quase dois anos de um mergulho interno, conduzido magistralmente pela @melabib que estão sendo de grande importância. Não foi nada fácil. Por vezes eu mesmo nem me aguentei. No início relutei em recomeçar a terapia (já tinha feito em outra fase da vida), porque sabia o quanto as tais caixas empoeiradas iriam ser reviradas. A sensibilidade aflora de maneira jamais vista.

Mas hoje, olhando as transformações, relembro como são importantes os primeiros passos de uma caminhada, o que só me motiva para seguir em frente nessa caminhada de auto conhecimento. 🙏🏻

Tags:

#i-PSI #psicanálise #ClodoaldoLima #depoimento #terapia