Quem é você no isolamento?

Publicado dia 19 de maio de 2020

Jéssica Kuhn
Você já se perguntou qual o seu “Eu” que está se sobressaindo durante essa pandemia?

Será que você se reconhece em algum dos perfis abaixo?
1. O reclamão
O Ego não gosta de nada que seja desconfortável ou diferente. Por isso reclama, e muitas vezes reclama em voz alta!
Mude o foco! Substitua suas reclamações por agradecimentos.
2. O irritadiço
Quando você é contrariado ou se sente ameaçado tem rompantes de raiva? Todas as críticas são entendidas como ataques pessoais e você se sente extremamente ofendido? A sua reação costuma ser agressiva ou demasiado radical?
Respire fundo, conte até dez e faça autocrítica valorizando seus esforços, mas também se tornando consciente de seus erros.
3. O pessimista
Você é aquele que sempre pensa no pior? Será que o pessimista tomou conta de você? Mas você só quer se prevenir, não é? Afinal, tudo sempre pode acabar mal ou muito pior até do que se possa imaginar!
Busque o lado positivo da vida, permita-se desfrutar das pequenas coisas e valorize o que está ao seu redor.
4. O perfeccionista
Já notou que só você acha que o trabalho está incompleto?
Trabalhe suas potencialidades e não queira ser bom em tudo. Estabeleça metas realistas e entenda que a perfeição não existe, por isso é uma perda de tempo continuar buscando por ela em si mesmo e/ou nos demais.
5. O convencido
Você se surpreende falando de suas qualidades positivas para si mesmo e/ou para os outros? Você necessita se convencer de suas habilidades, recursos e conquistas, e até pede aos demais que verbalizem essas mesmas coisas para aumentar sua autoestima (“Você me ama?”, “Ficou bom isso que eu fiz, né?”).
Confie mais em si mesmo! Todos gostam, querem e precisam de reconhecimento. Mas é você que precisa se dar valor e acreditar em si!
6 O coitadinho
A eterna vítima! Tudo e todos estão contra você? Vitimizar-se é a melhor maneira de não sair do lugar.
O que você não percebe é que está sendo vítima de si mesmo. Mude sua atitude. Se algo não vai bem, se você se sente prejudicado, aprenda a não depender dos outros para ser feliz. A vida é sua e só você é responsável por ela. Vá atrás do que você quer e conquiste assim sua autoconfiança e realização pessoal com essa atitude.
 
7. O precavido
Você se dá inúmeras desculpas para não mudar algo na sua vida, e age assim por medo de fracassar. Tenta dominar seu território e sentir-se confortável, porque na realidade tem medo do desconhecido.
Mas já dizia o ditado popular: “quem não arrisca não petisca”. Já pensou em quantas oportunidades perdidas com esse seu comportamento? Tente novas ideias, use de criatividade e um mundo novo se descortinará à sua frente.
8. O comilão
Ficar em casa o dia todo angustiado ou entediado pode fazer com que sinta vontade de comer. E vontade não é fome!
Observe esses momentos e essa diferença e pratique o autodomínio.
O mesmo vale para a bebida. Só porque está em casa precisa beber todo dia? O que está te faltando para você se amparar na comida, na bebida, no cigarro?…
9. O exibido
Você está postando demais? Observe o movimento das suas postagens na rede. Sente que irá ajudar ou só quer chamar a atenção? Pergunte-se por que necessita de atenção exterior para ser feliz.
Todos gostamos de ser reconhecidos, mas, novamente, é melhor potencializar a capacidade de auto-análise que a dependência dos demais.
10. Salvador da Pátria
Dá vontade de salvar o planeta e ajudar todo mundo?
Essa vontade de ajudar é genuína ou você está em busca de reconhecimento? Ou talvez apenas queira fugir de resolver os seus problemas focando nos problemas alheios?
Reflita sobre as suas questões e aproveite para encontrar soluções para ser mais feliz.
11. O juiz
Você passa muito tempo analisando e julgando as pessoas?
Quem muito julga o outro acaba por julgar muito mais a si mesmo. É a famosa frase de Freud, o pai da Psicanálise: “Quando Pedro me fala de Paulo, sei mais de Pedro do que de Paulo”. Para Freud, o que você acha do outro muitas vezes é apenas uma projeção sua.
Preste mais atenção em você e acolha todos os seus lados.
12. O bon vivant
Aproveitar esse tempo a mais, de isolamento, para finalmente se distrair… Nada mal. Mas…
Acha mesmo que vale a pena somente passar o tempo, ou o passatempo poderia ser também uma fonte de aprendizado? Aproveite e enriqueça seu mundo interior.
13. O egoísta
Eu, sempre eu em primeiro lugar! Será que é mesmo tão bom viver só para si? Só existe a sua vontade, o seu modo de ser?
Aproveite para perceber o quanto isso tem frustrado bons relacionamentos. Afinal, você como todo mundo precisa dos demais, e agora, mais do que nunca, é a coletividade que conta. Seja menos egoísta, exercite a sua capacidade de empatia e solidariedade. As vontades e desejos dos outros também importam, e vê-los contentes pode, sim, te deixar feliz também.
A quarentena é uma ótima oportunidade de autoconhecimento. E pode ser a grande oportunidade de transformação da lagarta em borboleta. Pense nisso.